Google+ 27º BPM/I: 07/01/2015 - 08/01/2015

sexta-feira, 31 de julho de 2015

ESTÁGIO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DE CABOS E SOLDADOS TURMA IV-15

      No dia 16 de Julho de 2015 o 27º Batalhão de Polícia Militar do Interior realizou a formatura da 4ª turma do Estágio de Atualização Profissional (EAP) para Cabos e Soldados de 2015. 
      Nos dias em que frequentaram o Estágio, os Policiais Militares receberam instruções sobre procedimentos operacionais, tiro defensivo, condicionamento físico, legislações, normas da Instituição, inovações e planejamento estratégico da Instituição, estando aptos a prosseguir em suas atividades, prestando um serviço voltado para excelência nas mais diversas áreas. 

      Foram avaliados, atualizaram seus conhecimentos e aperfeiçoaram as técnicas profissionais. A turma contou com a participação de 21 (vinte e um) Policiais Militares.


EAP-Turma IV/15


CB PM Buzacarini, SD PM Andolfato e CB PM Airton durante simulação de abordagem

CB PM Leal e SD PM Henriques durante instrução



CB PM Alexandre aplicando o TAF (Teste de Aptidão Física) ao efetivo


Efetivo durante a corrida de 12 minutos



Maj PM Jefferson Bastos e parte do efetivo durante aplicação do TAF






Cap PM Paiva ministrando aula de defesa pessoal com o bastão tonfa









Durante o encerramento do EAP:

CB PM Oliveira recebendo homenagem do Maj PM Jefferson Bastos por ter se destacado no mérito intelectual



CB PM Rodrigues recebendo homenagem do Maj PM Jefferson Bastos pelo destaque no Teste de Aptidão de Tiro


CB PM Buzacarini recebendo homenagem do Maj PM Jefferson Bastos por destaque no teste de aptidão física


Maj PM Jefferson Bastos e Cap PM Paiva com a Turma IV/15 durante o encerramento do EAP

sexta-feira, 24 de julho de 2015

SOLENIDADE EM HOMENAGEM AOS 83 ANOS DA REVOLUÇÃO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 - BARRA BONITA

Publicado em "Revista ET 205" de Barra Bonita, do dia 17 de julho de 2015


     No dia 09 de julho foi comemorado o 83º aniversário da Revolução Constitucionalista de 1932, na cidade de Barra Bonita.
     A Solenidade contou com a participação do Comandante da Capitania Fluvial do Tietê-Paraná,  Capitão de Fragata Luiz Alberto Ferreira Vasconcellos, da Marinha do Brasil, da 1º Tenente da PM Rosemary Ulian, Subcomandante da 2ª Cia do 27º BPM/I, e do Prefeito da cidade de Barra Bonita, Guilherme Belarmino.
     O evento contou com a participação do Coral da 3ª Idade de Barra Bonita, do saxofonista Gustavo Henrique Nascimento, dos escoteiros, do Cel PM Humberto Salvador Cestari, além de diversas outras autoridades e público em geral.

Revista ET 205 de Barra Bonita, do dia 17 de julho de 2015, fls 10
 

SOLENIDADE EM COMEMORAÇÃO AO 83º ANIVERSÁRIO DA REVOLUÇÃO DE 1932 - IGARAÇU DO TIETÊ

Publicado no Jornal "Mais" de Igaraçu do Tietê da semana de 11 a 17 de julho de 2015

     No dia 09 de julho foi realizada uma solenidade em comemoração aos 83º aniversário da Revolução de 1932 na cidade de Igaraçu do Tietê.
     A solenidade contou com a participação do 1º Ten PM Alexandre Andrade, comandante do 1º Pelotão da 2ª Cia do 27º BPM/I, representantes do poder público municipal e crianças de rede pública municipal.
     A fanfarra da escola José Conti fez uma apresentação no local.

Jornal "Mais" de Igaraçu do Tietê da semana de 11 a 17 de julho de 2015, fls 04
 

FORMATURA DO PROERD DAS ESCOLAS FRANCISCO SIMÕES E BENEDITO DOS SANTOS GUERREIRO - DOIS CÓRREGOS

      Publicado no Jornal Independente de Dois Córregos do dia 04 de julho de 2015
 
 
     No dia 23 de junho, às 19:00h, no salão de Festas Saint Lounge, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, foi realizada mais uma formatura do PROERD de Dois Córregos.
     Abrilhantaram o evento o Ten Cel PM Marcelo Sanches, Cmt do 27º BPM/I, o Prefeito do Município, Chico Telles, e o Juiz da Comarca, Ju Hyeon Lee.
     Foi a maior formatura da cidade, com mais de 200 alunos do 5º ano.
     No mês de junho houve formatura na escola Professora Laura Rebouças de Abreu, de Guarapuã - Dois Córregos, e na Escola Cenecista Professor Benedito Ortiz, também em Dois Córregos.
     O instrutor do PROERD em todas escolas foi o Cb PM Humberto Henrique Sofner.
 
  Jornal Independente de Dois Córregos do dia 04 de julho de 2015, fls 03

terça-feira, 21 de julho de 2015

DESPEDIDA DO 2º TENENTE PM MAURO EVANGELISTA DE ASSIS JÚNIOR

      No dia 16 de julho, o 2º Ten PM Mauro Evangelista de Assis Júnior foi homenageado pelo Comandante Interino do Batalhão, O Maj PM Jefferson Bastos, e todo efetivo do Estado Maior, tendo em vista sua transferência para o 37º BPM/M, na capital (Capão Redondo).     O 2º Ten PM Assis chegou ao Batalhão em 12 de Dezembro de 2014, logo após ser declarado Aspirante a Oficial, em formatura na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), tendo escolhido o 27º BPM/I para realizar o Estágio Administrativo e Operacional.
     Durante o tempo em que trabalhou nesta unidade atuou em muitas ocorrências, das mais variadas naturezas, sempre demonstrando tirocínio policial, responsabilidade e profissionalismo.
     Além de contribuir para a segurança da população das cidades da região de Jaú, o oficial fez muitos amigos civis e militares, sendo que todos do Batalhão sentem-se honrados pelo fato do Tenente ter trabalhado no 27º BPM/I, e, principalmente, por ter escolhido esta unidade para início da carreira , que será, com certeza, muito promissora.
 
2º Ten PM Mauro Evangelista de Assis Júnior

Efetivo do EM

Maj PM Jefferson Bastos, 2º Ten PM Assis e Mauricio Lopes

2º Ten PM Assis e Mauricio Lopes, Maj PM Jefferson Bastos

1º Ten PM Torres e 2º Ten PM Assis








 

DESPEDIDA DO 2º TENENTE MAURICIO LOPES DE OLIVEIRA

     No dia 16 de julho, o 2º Ten PM Maurício Lopes de Oliveira foi homenageado pelo Comandante Interino do Batalhão, O Maj PM Jefferson Bastos, e todo efetivo do Estado Maior, tendo em vista sua transferência para o 50º BPM/M, na capital (Parelheiros).
     O 2º Ten PM Maurício Lopes chegou ao Batalhão em 12 de Dezembro de 2014, logo após ser declarado Aspirante a Oficial, em formatura na Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB), tendo escolhido o 27º BPM/I para realizar o Estágio Administrativo e Operacional.
     Durante o tempo em que trabalhou nesta unidade atuou em muitas ocorrências, das mais variadas naturezas, sempre demonstrando tirocínio policial, responsabilidade e profissionalismo.
     Além de contribuir para a segurança da população das cidades da região de Jaú, o oficial fez muitos amigos civis e militares, sendo que todos do Batalhão sentem-se honrados pelo fato do Tenente ter trabalhado no 27º BPM/I, e, principalmente, por ter escolhido esta unidade para início da carreira , que será, com certeza, muito promissora.
  
2º Ten PM Maurício Lopes de Oliveira
 
Efetivo do EM do Batalhão
 
Maj PM Jefferson Bastos, 2º Ten PM Assis e Maurício Lopes
 
2º Ten PM Assis e Maurício Lopes e Maj PM Jefferson
 
2º Ten PM Maurício Lopes e 1º Ten PM Amauri
 




quarta-feira, 8 de julho de 2015

PM DE BARIRI APREENDE MAIS DE 10 KG DE DROGAS, UMA ARMA, 77 MUNIÇÕES, E PRENDE UMA PESSOA EM FLAGRANTE

     Hoje à tarde, na cidade de Bariri, a Polícia Militar prendeu uma pessoa em flagrante delito por tráfico de drogas e porte ilegal de armas. 

     Após denúncia de que um bar no bairro Livramento estaria vendendo cigarros contrabandeados, os Policiais Militares de serviço encontraram, em dois cômodos existentes nos fundos do estabelecimento,  10.290 kg de cocaína e 402 gramas de maconha, tudo já  embalado em invólucros plásticos, prontos para serem vendidos. Encontraram também um revólver calibre 38, com 77 munições, três balanças de precisão, telefones celulares, e quase 2.000 em dinheiro.
     Ao término da lavratura do flagrante, o indivíduo foi recolhido à cadeia pública de Barra Bonita.




5 DE JULHO DE 1924, A "REVOLUÇÃO ESQUECIDA."


Publicado no Blog da Polícia Militar do Estado de São Paulo de 06 de julho de 2015 :
http://policiamilitardesaopaulo.blogspot.com.br/2015/07/5-de-julho-de-1924-revolucao-esquecida.html

Há 91 anos eclodia a Revolução, cujo epicentro foi São Paulo.
* Sérgio Marques

     Na segunda década do século passado o Brasil ainda era uma República anacrônica, pois o objetivo do Estado Brasileiro, em um “ciclo perverso”, encerrava-se em si mesmo. A população era o que menos importava! Reinava a famigerada política do “Café com Leite”, com a alternância do Executivo Federal (Presidência da República) apenas por representantes de oligarquias dos Estados economicamente majoritários, entenda-se São Paulo e Minas Gerais. As eleições eram manchadas pelo incrédulo voto aberto, o malicioso voto de cabresto, com a população “exercendo cidadania” de acordo com o pensamento dos poderosos “coronés” (como eram chamados os chefes políticos locais); essas práticas cobriam nossos sertões. O Presidente da República à época era o também oligarca Arthur Bernardes, em triste continuísmo político,...
     Foi em um Quartel da Força Pública, na Av. Tiradentes, no centro da Capital, isso mesmo, Força Pública Paulista (atual Polícia Militar do Estado de São Paulo), que a rebeldia se instaurou contra a mesmice que corrompia e retirava o verde e amarela de nossa Bandeira. Nos dias atuais outras forças, não menos perigosas, tentam o mesmo propósito...
     
     Na alvorada de 05 de Julho de 1924 eclodia a Revolução, hoje, por questões óbvias, conhecida pelo termo “Revolução Esquecida”. 
     O Quartel da Luz, no atual Regimento de Cavalaria e parte do antigo 1º BC (1º Batalhão de Caçadores –“ROTA”), sob o comando do Major FP do Regimento MIGUEL COSTA e inúmeros outros colaboradores (destacando o Tenente FP JOÃO CABANAS, autor do livro "A Coluna da Morte"), dominaram a cidade de São Paulo.
O Chefe do Executivo Paulista, Carlos de Campos, foge para Guayauna (Bairro da Penha), após a sede do governo Paulista, no Palácio Campos Elíseos (na Esquina da Av. Rio Branco x Praça Princesa Isabel) ter sido atacado pelos rebeldes.
     O intuito do movimento era claro, ou seja, a derrubada do Presidente, que representava a ordem vigente, arcaica e corrompida, além da mudança radical da estrutura viciada do Estado Brasileiro. Com a suposta adesão de outras localidades, marchariam para o Rio de Janeiro (capital Federal da época) para destituir o Presidente. Só que não houve a adesão de outros praças, o que inviabilizou a marcha!
     O evento era originário do “Movimento Tenentista”, grupo essencialmente urbano e representante da classe média em crescimento, antagônico ao movimento ruralista e tradicional, porque almejava por profundas mudanças na sociedade brasileira. Em nada se confunde com a ideologia pregada pela União das Repúblicas Socialistas Soviéticas – URSS desde 1917
     O Movimento Tenentista teve seu batismo de fogo no mesmo dia, porém dois anos antes, na cidade do Rio de Janeiro, no episódio conhecido como "Os 18 do Forte de Copacabana", que, com semelhança ao voluntarismo dos "300 de Esparta", marcharam para a morte e pela glória na Praia de Copacabana. Ao final da peleja restaram feridos apenas os Tenentes Siqueira Campos, que dá nome ao Parque Trianon, na Av. Paulista, e Eduardo Gomes, futuro Brigadeiro de nossa Força Aérea. Os dois já recuperados e eternos rebeldes teriam intensa participação na Revolução de 1924 bem como no comando de tropas da Coluna Miguel Costa- Prestes pelo Brasil
     O ano de 1922 na história brasileira foi no mínimo diferenciado, pois outros dois episódios fecharam-no: Semana de Arte Moderna e fundação do Partido Comunista do Brasil!
     Em 1917, durante a greve geral de São Paulo, o mesmo Major de Cavalaria, MIGUEL COSTA, recebera ordens governamentais para dissipar os manifestantes. Mesmo após receber uma pedrada na testa, lançada por um manifestante mais exaltado, apeou de seu cavalo e se pôs a conversar com os grevistas. Recebeu o convite para verificar as precárias condições em que viviam as pessoas. Resultado: por lógica, influenciado pelas condições subumanas que seus olhos constataram (operários, imigrantes, migrantes, crianças, mulheres, idosos etc.), negociou a primeira greve no Brasil.
     Com certeza aquela vistoria de 1917 incrementou sua visão humanista, pois foi testemunha presencial das condições adversas de vida no Brasil naquele primeiro quarto do século passado.
   
  Enquanto persistia o "Julho Revolucionário de 1924" a situação na cidade, durante o domínio rebelde, só piorava. Ela era constantemente bombardeada por tropas fieis ao Governo situacional, através dos canhões e de sua debutante aviação, em total desrespeito a população civil. Bairros populares e operários como Moóca, Brás, Centro, além de Perdizes e Vila Mariana foram agraciados com as bombas que levavam o beijo da morte... A cidade era habitada por aproximadamente 700.000 almas, muitas das quais simpatizantes dos rebeldes. Em decorrência das "bombas legalistas" ocorreu um gigantesco êxodo na cidade, pois em torno de 300.000 pessoas abandonaram-na. Sempre ela, a guerra, fazendo vítimas civis, similar ao que ocorre hoje na Síria, um Estado retalhado por concepções políticas, ideológicas e religiosas radicais... 
     O Comando Revolucionário, encabeçado pelo General Isidoro Dias Lopes, ciente de que outras partes do país não aderiram ao movimento e, paralelamente, ao sacrifício da população paulistana, após 23 dias de domínio, partem em 28 do mesmo mês, optando pela "guerra de movimento" no território brasileiro para semear os ideais de modernidade e justiça.
     Através da Estação Ferroviária da Luz (que hoje também abrange uma Estação do Metrô, de mesmo nome), nas proximidades do "Quartel da Luz", 6.000 rebeldes (inclusos 2.000 civis que aderiram à Revolução) embarcaram nos trens com destino inicial ao interior do Estado, na cidade de Bauru, até alcançarem a região pouco habitada de Foz do Iguaçu, no Estado do Paraná (e posterior marcha pelo Brasil).
     Com MIGUEL COSTA, 3.800 guerreiros chegaram ao oeste do Paraná. Os rebeldes permaneceram no aguardo das tropas do Capitão do Exército Brasileiro Luís Carlos Prestes, que se sublevaram no Rio Grande do Sul no dia 28 de outubro de 1924. Quase cinco meses após (11 de abril de 1925) alcançam a tropa Paulista, com apenas 800 maltrapilhos e quase desarmados componentes da Coluna do Capitão Prestes. As duas colunas unidas (de São Paulo e do Rio Grande) resultaram na "1ª Divisão Revolucionária", ou, simplesmente, com justa revisão histórica, "Coluna Miguel Costa- Prestes".
     Nos meios Acadêmicos era apenas conhecida pelo termo "Coluna Prestes", Capitão do Exército, fato militarmente incabível, pois Miguel Costa era seu superior hierárquico, no posto de Major (para os militares antiguidade é posto...). A “1ª Divisão Revolucionária” é importante página da Historiografia Nacional, pois, com abnegação e heroísmo, anônimos percorreram aproximadamente de 25.000 km do território nacional (constituindo a maior marcha militar do planeta), até o internamento da tropa rebelde na Bolívia, em 1927, encerrando esse capítulo desconhecido para a maioria dos brasileiros.... 
     Vivas também aos soldados legalistas que perseguiram a Coluna, pois sofreram as mesmas adversidades dos tempos de guerra.
     Outro líder da estirpe de MIGUEL COSTA, porém em trincheira distinta, também treinado pelos membros gauleses da 1 ª Missão Francesa de Instrução da Força Pública Paulista (1906-1914), o Coronel PEDRO DIAS DE CAMPOS, Comandante Geral da Força Pública Paulista, perseguiu pessoalmente a Coluna Miguel Costa - Prestes pelo interior do Brasil. Na Campanha a Força Pública Paulista teve o desprazer de ter a primeira baixa da Aviação Militar Paulista, em 1926, com a morte do Tenente FP Chantre, em Uberaba- MG, após um pouso mal sucedido em que o vitimou mortalmente. O segundo piloto, Tenente FP Antônio Pereira Lima, teve ferimentos gravíssimos e fora internado na Santa Casa local, ficando 8 dias em coma, porém resistindo aos ferimentos. Estavam a caminho de Goiás, na Campanha de mesmo nome, combatendo a Coluna Miguel Costa- Prestes. Coincidentemente, o vitimado sobrevivente, no ano anterior, Ten PM Pereira Lima ficara conhecido como o primeiro paraquedista brasileiro, feito realizado no Campo de Marte. Os fundos arrecadados decorrentes da demonstração também auxiliaram na Construção do Hospital Cruz Azul, destinado aos familiares dos membros da Força. A vida de caserna obrigava-os a se ausentarem por longo período de suas famílias, pois constantemente eram acionados para participarem de Campanhas Militares. A Cruz Azul era (e o é) um porto seguro para as esposas e filhos dos guerreiros de ontem, hoje e sempre...
     Deve- se a 5 de Julho de 1924 o início efetivo de derrubada das pilastras que sustentavam a Velha República, que se romperam definitivamente no ano de 1930 com a “Revolução Outubrista”. As eleições no Brasil são realizadas no mês de outubro em decorrência daquele evento. 
     Com a ruptura de 1930, iniciam-se os tímidos primeiros passos para o avanço das instituições políticas, culminando na Constituição Cidadã de 1988 e na liberdade de expressão e manifestação do povo brasileiro. 
     Contudo, o poder às vezes pode cegar. O que era para ser temporário, com os ideais dos “Tenentes”, perpetuou- se no tempo e no espaço, com a figura de Getúlio Vargas. Muitos dos "Tenentes" sofreram de tal mal.... São Paulo mais uma vez cobrou! Novamente sangue brasileiro de nascimento e/ou adoção escoou durante a Revolução Constitucionalista, dois anos depois... Os Soldados da Lei foram imortalizados no Mausoléu do Soldado Constitucionalista de 1932 (Obelisco do Ibirapuera, na Capital).
     O heroísmo e sacrifício daquela geração, pois pegaram em armas, foram louváveis. Hoje, felizmente, outras "armas" são utilizadas, sendo a principal “munição” o voto (direto, secreto, universal, e periódico, hoje cláusulas pétreas, conforme reza artigo 60, parágrafo 4º, inciso II, da CF/88), que pode derrubar qualquer trincheira de intolerância e injustiça. Mas não nos esqueçamos daqueles valentes, que JAMAIS poderão ser esquecidos...
     Para os críticos do General MIGUEL COSTA, em conversa informal com o Coronel Mário Ventura ( http://ventura-memriasdoventura.blogspot.com.br/), estudioso dos feitos da Instituição, revelou-me fato marcante. Quando ainda Cadete da Força Pública, em 1959, entrevistou o grande Comandante. Confessara a ele que uma de suas grandes tristezas era não ter participado da Revolução de 1932 ao lado das Tropas Constitucionalistas. Afinal, por ter sido um membro atuante do movimento “Tenentista”, fora aprisionado em São Paulo durante a Guerra pela Constitucionalidade.
     Bravos de outrora, que hoje habitam o infinito, o sangue jorrado não foi derramado em vão... Nossa eterna gratidão!!!!!


* Sérgio Marques, pesquisador militar, é Capitão de Polícia Militar. Bacharel em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pela APMBB; Bacharel em Direito pela UNIBAN; Pós - Graduado em Política e Relações Internacionais pela FESP; Mestre em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública pela APMBB.

terça-feira, 7 de julho de 2015

FORMATURA DO PROERD DA ESCOLA PREVE OBJETIVO DE JAÚ

     No dia 16 de junho foi realizada a formatura do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD) da Escola PREVE OBJETIVO de Jaú, às 20:00h, sendo formados 22 alunos do 5º ano do ensino fundamental.
      O evento ocorreu em parceria com a Instituição Escolar, contando com a presença da coordenadora, senhora Mara Regina Cândido, e do  Subcomandante do Batalhão, o Major PM Jefferson Bastos.
     Os estudantes receberam os certificados e foram cumprimentados por todos os presentes e também pela Subten PM Maria Augusta Ulian Guimarães, instrutora do 27º BPM/I responsável pela aplicação do Programa na escola.
     A formatura contou ainda com a presença de dois policias militares da Bahia que vieram conhecer o PROERD de Jaú.

Coordenadora Mara Regina Cândido, Subten Teodoro, Ten Rosemary, Subten Ulian, DARE, Maj Jefferson Bastos, casal de policiais da Bahia

Palavras do Subten Teodoro e mesa das autoridades

Alunos formandos do 5º ano

Apresentação dos alunos

Juramento dos alunos

Pais presentes à formatura

Subten Ulian, instrutora do PROERD da Escola PREVE OBJETIVO

Palavras da Coordenadora Mara Regina Cândido


Palavras da Ten Rosemary - oficial de ligação do PROERD

Música de encerramento do PROERD

Coordenadora Mara Regina Cândido, Subten Ulian, Ten Rosemary, Subten Teodoro, Maj Jefferson Bastos, Cb Rodrigo Travensolo, alunos do PROERD


Ten Rosemary, Maj Jefferson Bastos, Subten Ulian

CANAL DO YOUTUBE